segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

o cavalheiro das noites insones


Já passava de 1h da manhã e seus olhos começavam a pesar em frente ao computador.
Então ela decidiu que já era hora de dormir.

Alguma coisa estava diferente naquela noite, ao invés de entrar no quarto de uma forma bem estabanada como de costume, dessa vez ela chegou de mansinho, como se não quisesse acordar alguém.

Mas que companhia aguardava alguém geralmente taum solitário?


Talvez seriam suas próprias ilusões, devaneios. Naquela noite não importava!
O que importava realmente era que, naquele momento ela naum estava só.

Deitou-se cuidadosamente ao lado esquerdo da cama, esse sempre fora o seu lado preferido, mas hoje essa escolha tinha um outro motivo, provavelmente seu suposto 'acompanhante' preferia o lado direito.

Puxou cuidadosamente o lençol como se não quisesse despertar alguem, talvez ele sentisse frio.

Mas independente de todo esse cuidado alguém pareceu despertar.

Os dois se encarararm por algum tempo.

Ela com um olhar de quem pede desculpas por tê-lo acordado.
Ele com o olhar de quem naum se incomoda.

As coisas entre eles dois se resolviam facilmente dessa forma, apenas atraves do olhar um sabia o que o outro pensava e a conversa silenciosa seguiu-se noite afora.

Ela ‘falava’ bem mais que ele, as vezes esperava por alguma resposta, mas ela nunca vinha. O que naum a incomodava de fato, o importante era ser ouvida e isso ele fazia muito bem.

A noite passou e ao despertar a sensação que percistia era de que a noite, apesar de estranha, tinha sido grandemente aconchegante. 

Por que, será?!

Ela não precisava realmente de uma resposta, não precisava de explicações, ela se conformava apenas com a sensação de ter tido uma noite boa...

de ter dormido bem... 


bem ao seu lado! [p/ Nando]

2 comentários:

Eduardo Dot disse...

HEIN? O_O_O_O

Do nada tu atualiza isso aqui né? Depois de um ano. nooosss. quero explicações depois. esse texto foi muuito revelador :oo

Jamerson Belfort Nogueira disse...

great!